Páginas

Seguidores

Número de Visitantes

quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

Capítulo III - Controvérsias Bíblicas Sobre Deus

Deus é um Deus de paz ou é um Deus guerreiro?

“O Senhor é um guerreiro” (Ex 15:3;).

Mas no Novo Testamento Ele é de paz, não é mesmo!

“Agora o Deus de paz esteja com todos vós, amém” (Rm 15:33;).

Deus não pode ser visto:  

“Ninguém nunca viu a Deus […]” (Jo 1:18;).

“E Ele disse, tu não podes ver a minha face;  pois nenhum homem  pode ver  a minha face e viver” (Ex 33:20;).

 “A quem nenhum dos homens viu e pode ver […]” (1 Tm 6:16;).

Deus pode ser visto:

“Subiram Moisés e Arão, Nadabe e Abiu, e  setenta dos anciãos de Israel, e viram o Deus de Israel.  Debaixo dos seus pés havia como que uma calçada de pedra de safira que se parecia com o céu de sua claridade” (Ex 24:9,10;).

“Apareceu-lhe o Senhor e disse [...]” (Gn 26:2;).

“Vi o Senhor em pé junto ao altar e ele me disse [...]” (Amós 9:1;).

“Falava o Senhor face a face, como qualquer fala com seu amigo” (Ex 33:11;).

“Depois, quando eu tirar a mão, me verá pelas costas, mas a minha face não se verá” (Ex 33:23;).
“Vi a Deus face a face e a minha vida foi poupada” (Gn 32:30;).

Deus é bom para todos:

“O Senhor é bom para todos; tem compaixão de todas as suas obras” (Sl 145:9;).

Mas às vezes Ele é violento:

“Fá-los-ei em pedaços, atirando uns contra os outros, tanto os pais como os filhos, diz o Senhor. Não perdoarei nem pouparei, nem terei compaixão deles, para que os destrua” (Jr 13:14;).

Deus tenta seus filhos:

“Depois destas coisas, tentou Deus a Abraão […]” (Gn 22:1;).

Deus não tenta seus filhos:

“Nenhum homem diga quando tentado, sou tentado por Deus; pois Deus  não pode ser tentado pelo mal e a ninguém tenta” (Tg 1:13;).

Nota: Leia  na versão King James Inglesa de 1611. “And it came to pass after these things, that God did tempt Abraham”.

Deus prefere a oferta de Abel e recusa a de Caim:

“Passado muito tempo, Caim ofereceu oferta ao Senhor dos frutos da terra. Abel também ofereceu dos primogênitos do seu rebanho  e das gorduras deles; e o  Senhor olhou para Abel e para a sua oferta. Não olhou, porém, para Caim e sua oferta” (Gn 4:3-5;).

Deus não dá preferência a pessoas nem a presentes: 

 “Agora seja o temor do Senhor convosco. Julgai com cuidado, pois não há no Senhor nosso Deus iniqüidade, nem acepção de pessoas, nem aceitação de presentes” (2Cr 19:7;).

Leia: At 10:34; Rm 2:11

Deus  exige o despojo dos medianitas, tanto animais como pessoas:

 “Disse o Senhor a Moisés: Faze, juntamente com Eleazar, o sacerdote e com os cabeças das casas paternas da congregação, um inventário de tudo o que foi tomado, tanto de homens com de animais, e divide a presa em duas metades, uma para os soldados que foram à guerra e outra para toda a congregação.  Então para o Senhor tomarás o tributo [...] tanto de pessoas, como de bois, de jumentos e de ovelha” (Nm 31:25;).

O inventário 

Total –  675.000 ovelhas - 72.000 bois - 61.000 jumentos – 32.000 mulheres virgens.
Parte do despojo dos filhos de Israel entregue aos levitas:
337.000 ovelhas – 36.000 bois – 30.500 jumentos – 16.000 mulheres. 
Oferta ao Senhor (1 de 50):
 5875 ovelhas – 648 bois – 274 jumentos – 288 mulheres.

Parte do despojo dos soldados entregue ao sacerdote:

337.000 ovelhas – 36.000 bois – 30.500 jumentos – 16.000 mulheres.
Oferta ao Senhor (1 de 500):
 675 ovelhas – 72 bois – 61 jumentos – 32 mulheres.

Total de mulheres ofertadas  ao Senhor:

  288 + 32 = 320 mulheres virgens.
Nota: “De que modo estas mulheres foram ofertadas à Yahweh? Sacrifícios humanos eram ou não praticados no A.T.? ” 

Deus não muda de opinião:

“Porque eu sou  o Senhor e não mudo” (Ml 3:6;).

“Cada dom perfeito vem de cima, do pai das luzes no qual não há variação nem sombra de mudança” (Tg 1:17;). 

 “Arrependeu-se de ter feito o homem sobre a terra” (Gn 6:6;).

Deus muda de opinião: 

“Eu disse e certifiquei que a tua casa e a casa de teus pais serviria para sempre diante da minha face. Mas agora o Senhor diz:  longe de mim tal coisa” (1 Sm 2:30,31;). 

 “Deus viu as suas obras e como se converteram do seu mau caminho; compadeceu-se deles e não lhe fez o mal que tinha resolvido fazer-lhes e com efeito não fez” (Jn 3:10;).
Deus fez planos para  castigar seu povo:

“Agora, pois, falas aos homens de Judá e aos moradores de Jerusalém, dizendo, isto diz o Senhor: Eis que estou preparando a desgraça contra vós e formando contra vós projetos de castigo” (Jr 18:11;).

Deus faz o bem e o mal:

“Não saem da boca do Altíssimo os males e os bens?” (Lm 3:38;).

Deus interfere no livre arbítrio das pessoas:

“Porque foi da vontade de Deus que seus corações endurecessem, que combatessem contra Israel, que fossem derrotados, que não merecessem piedade alguma e que perecessem como o Senhor tinha ordenado a Moisés” (Js 11:20;).

“Por isso não podiam crer, porque Isaias disse também: obcecou-lhes os olhos e endureceu-lhes o coração, para que não vejam com os olhos e não entendam com o coração e não se convertam e eu não os sare” (Jo12:39-40;)

“Permiti que fossem manchadas as suas ofertas, quando para a expiação dos pecados ofereceram  os seus primogênitos [...]” (Ez 20:25,26;).

Deus não pode mentir:

“[...] é impossível que Deus minta [...] ” (Hb 6:18;).

Mas Deus os fará cair no erro e crerem na mentira: 

“Por isso Deus lhes enviará o artifício do erro, de tal modo que creiam na mentira, para que sejam condenados todos os que não deram crédito a verdade, mas se comprazem na iniquidade” (2 Ts 2:10,11;).

Deus usa um espírito para praticar ação mentirosa:

“O Senhor disse: tu o enganarás e prevalecerás” (1 Rs 22:23;).

Deus aprova sacrifícios de animais:

“E Noé edificou o altar ao Senhor e tomando de todos os animais e de todos os animais e de todas as aves puras, ofereceu-os em holocausto sobre  o altar. E recebeu um suave odor e disse: não amaldiçoarei mais a terra por causa dos homens, porque os sentidos e os pensamentos do coração do homem são inclinados para o mal desde a sua mocidade” (Gn 8:20-21;).

“Oferecerás cada dia um novilho  em expiação pelo pecado” (Ex 29:36;).

“Aos dez deste sétimo mês será o dia solene das expiações [...]  e oferecereis holocausto”
(Lv 23:27;).

Deus desaprova ofertas queimadas e sacrifícios de animais:

“Para que me trazeis vós incenso de Sabá e cana suave de terra longínqua? As vossas ofertas queimadas não são aceitáveis nem os vossos sacrifícios me agradam”
(Jr 6:20;).

“Porque eu não falei com vossos pais, nem lhes mandei, no dia em que os tirei da terra do Egito, coisa alguma sobre ofertas queimadas e sacrifícios” (Jr 7:22,23;).

“De que me serve a mim a multidão de sacrifícios? Já estou farto delas”
 (Is 1:11,13;).

Deus habita na luz:

 “Que é o único que possui a imortalidade e que habita numa luz inacessível”
(1 Tm 6:16;).

Mas às vezes Deus também está na escuridão:

 “O povo, pois, ficou longe e Moisés aproximou-se da escuridão em que Deus estava”
(Ex 20:21;).

Deus descansa:

“E Deus acabou no sétimo dia a obra  que tinha feito; e descansou no sétimo dia”
(Gn 2:3;).

“Este é um pacto eterno entre mim e os filhos de Israel e um sinal perpétuo; porque em seis dias o Senhor fez o céu e a terra [...]” (Ex 31:17;).

Deus nunca descansa: 

“Ele não cansa, nem se fatiga” (Is 40:28;).

Deus está em todo lugar, vê e sabe todas as coisas:

“Em todo lugar estão os olhos do Senhor, contemplando os bons e os maus [...]” (Pv 15:3;).

Deus não está em todo lugar, não vê e não sabe todas as coisas:     

“O Senhor, porém desceu para ver a cidade e a torre que os filhos de Adão edificavam  [...]” (Gn 11:5; ).

“Descerei e verei se as suas obras correspondem ao clamor que chegou até mim ou se assim não é para o saber” (Gn 18:20,21;).
    
Deus conhece o coração do homem:

 “Tu Senhor que conheces os corações de todos [...]” (At 1:24;).

Deus precisa testar o homem para conhecer seu coração:

“Não estendas a tua mão sobre o menino e não lhe faça mal algum, agora conheci que temes a Deus [...]” (Gn 22:12;).

“E para te provar, para que se tornasse manifesto o que estava dentro do seu coração, se guardarias ou não os seus mandamentos” (Dt 8:2;).

“[...] porque o Senhor vosso Deus, vos põe a prova, para se tornar manifesto se o amais ou não de todo vosso coração[...]” (Dt 13:3; ).

Deus é Todo-Poderoso:

“Ó fortíssimo, grande e poderoso, Senhor dos exércitos é teu nome” (Jr 32:27; Mt 19:26;).

Deus não é Todo-Poderoso: 

“O Senhor foi com Judá, o qual apoderou-se das montanhas; porém não pode derrotar os que habitavam no vale porque estes tinham muitos carros de ferro” (Jz 1:19;).   
 
Deus está satisfeito com as suas obras:

“E Deus viu que todas as coisas que tinha feito e eram muito boas” (Gn 1:31;).

Deus não está satisfeito com as suas obras: 

“Deus vendo que era grande a maldade dos homens sobre a terra [...] arrependeu-se de ter criado o homem sobre a terra” (Gn 6:6;).

Deus endureceu o coração do faraó:  

“Cuida de fazer diante de faraó todos os prodígios que eu pus na tua mão. Eu endurecerei o seu  coração e ele não deixará partir o povo” (Ex 4:21;).
        
O faraó endureceu o seu próprio coração:

“Mas o faraó vendo que lhe era dado alívio, endureceu seu coração e não os ouviu, como o Senhor tinha mandado” (Ex 8:15;).


Extraído do livro Paradoxos da Bíblia


16 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Realmente, a pessoa que teve a coragem (pois é vergonhoso) de propor tais "paradoxos", não passa de um coitado ignorante que não sabe diferenciar o Velho, do Novo Testamento. Nota-se que é uma pessoa que não estudou efetivamente teologia, ocultismo, cristianismo, antropologia e história da bíblia.

    Vamos compreender um pouco a diferença entre o Velho e o Novo Testamento:

    O velho testamento foi redigido por judeus (moisés e os profetas) durante o milênio que antecede a vinda de Cristo. Narra a epopeia vivida pelos judeus em um mundo (o oriente médio antigo) dominado por grandes civilizações como a Babilônia, a Assíria, o Egito, a Pérsia e etc. Este período foi quase todo dominado pelo que conhecemos como Código de Hamurabi. Hamurabi foi o mais importante rei da primeira dinastia da Babilônia. Ele unificou as religiões da mesopotâmia outorgando Marduk como a principal divindade a ser adorada e criou um código contendo centenas de diretrizes para guiar a vida social e moral dos cidadãos.

    "O Código de Hamurabi (também escrito Hamurábi ou Hammurabi) é um dos mais antigos conjuntos de leis escritas já encontrados, e um dos exemplos mais bem preservados deste tipo de documento da antiga Mesopotâmia. Segundo os cálculos, estima-se que tenha sido elaborado pelo rei Hamurabi por volta de 1700 a.C.. Foi encontrado por uma expedição francesa em 1901 na região da antiga Mesopotâmia correspondente a cidade de Susa, atual Irã.
    É um monumento monolítico talhado em rocha de diorito, sobre o qual se dispõem 46 colunas de escrita cuneiforme acádica, com 282 leis em 3600 linhas. A numeração vai até 282, mas a cláusula 13 foi excluída por superstições da época. A peça tem 2,25 m de altura, 1,50 metro de circunferência na parte superior e 1,90 na base."

    O Código foi todo baseado na lei de talião (olho por olho, dente por dente)

    Exemplo de uma disposição contida no código:
    Art. 25 § 227 - "Se um construtor edificou uma casa para um Awilum, mas não reforçou seu trabalho, e a casa que construiu caiu e causou a morte do dono da casa, esse construtor será morto".Se uma casa mal-construída causa a morte de um filho do dono da casa, então o filho do construtor será condenado à morte (Seção 230).

    continua...

    ResponderExcluir
  3. Notemos que neste período da história da humanidade a realidade conhecida pelos indivíduos era essa do olho por olho dente por dente. O Velho testamento foi inteiro redigido por pessoas que viviam nessa ótica da realidade. É por isso que o Deus do Velho Testamento é " punitivo", "vingativo" e violento. É por isso que o velho testamento possui narrações mais violentas e fortes. Pois assim era a realidade da época: Gigantes e violentos impérios pagãos adoradores do anjo caído. Eram praticantes de magia e faziam sacrifícios horrendos de animais, humanos e recém nascidos, como eram os casos do culto a Moloch, desde a suméria. O Deus do velho testamento, esse que exige sacrifícios, que pode ser visto por humanos, que é vingativo e impiedoso não é outro senão o próprio Marduk, também conhecido como Baal, Seth, ou simplesmente Lúcifer. Existem passagens no velho testamento onde realmente estamos diante de Deus, mas em muitos casos estamos diante de Baal, o deus adorado em toda mesopotâmia durante esse período.

    O Novo testamento foi redigido a partir de uma realidade totalmente diferente. Foi escrito por seguidores de Jesus, durante o período romano. Centenas de anos à frente daquele período mesopotâmico descrito acima. Jesus trás consigo a mensagem do Perdão e a lei do olho por olho dente por dente é substituída pela lei do perdão. Este conceito não existia no mundo mesopotâmico (era impensável), é um conceito totalmente original, provindo unicamente da realidade proposta pelas mensagens de Jesus Cristo. Desta forma vemos que, diferentemente do Velho, o Novo Testamento possui uma narração mais suave, com situações que envolvem o amor ao próximo, o perdão e etc. Tendo jesus se sacrificado, não haveriam mais de serem feitos sacrifícios de animais ou humanos. Com o advento do cristianismo temos, pela primeira vez na história, a proibição de sacrifícios. Sendo assim devemos ter claro que o Deus do Novo Testamento não é o mesmo deus do Velho Testamento. O Deus do Novo Test. é verdadeiramente o Pai de todos, o Inefável, o criador de tudo e para onde tudo retorna. Ele é o Sumo Bem, a justiça em si. Ao contrario do Deus vingativo do Velho Test, que muitas vezes é o próprio Baal (lucifer).

    Com a explanação desenvolvida acima, vemos com facilidade que os "paradoxos" apontados por este indivíduo não passam de falácias maldosas.

    Na filosofia chamamos isso de sofisma, que é o uso da boa argumentação para fins de interesse e não para fins de conhecimento desinteressado, de amor ao conhecimento.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. mas não esta na biblia que deus não muda?

      Excluir
    2. so nao entedi uma coisa... o deus do velho testamento entao nao e o mesmo deus do novo testamento????.... temos 2 deuses entao???... explique- me por favor?...

      Excluir
    3. dahora q se algumas vezes não era deus e sim baal, então a bibla esta errada... se existe qqr erro nela, então não pode mais ser considerada infalivel.... e como é a palavra de deus, então deus tbm se tornou falivel.... consequentemente deus erra, se ele erra não é perfeito e tbm perde totalmente qqr argumento usando a biblia como base.

      Excluir
  4. Querido Oberon, a questão aqui na minha pequena opinião não seria a período ou a realidade da época mas sendo um livro interino que se refere ao mesmo Deus todo poderoso, onipotente e presente, suas contradições botam a prova pelo menos a falha interpretação da sua palavra seja por qualquer motivo que seja de seus profetas a cultura ou afins, não unificam a obra e pelo contrario, a tornam divergente e especulativa até mesmo para o mais fiel, quando usa um ínfimo da sua inteligencia, podendo assim observar o grande disparate de posicionamentos de um ser que já nasceu perfeito e se perpetua como verdade universal.

    ResponderExcluir
  5. Oberon, Oberon... voce falou, falou, gastou horas de seu tempo com um calhamaço de exposições para justamente corroborar exatamente com o que o corajoso blogueiro descreveu.
    Pois bem, se houve um antigo tetamento que foi, por conveniência de seus lideres, substituído por outro mais novo, de uma era mais recente para àqueles padrões, logo é um texto mutável.Logo, a bíblia enfrenta contradições que de tempos em tempos são reformuladas. A partir do instante em que, ora um diz um conceito a ser seguido sem distorções, ora um novo texto diz que àquele não tem mais valor pois o que vale é este atual, logo a bíblia é uma constante contradição em si.
    Não precisa de sofismo nenhum pra analizar a lógica da situação.

    ResponderExcluir
  6. É pq temos q seguir o novo testamento e ñ o velho testamento, já q se Deus é um só ??

    ResponderExcluir
  7. A religião é um grande plano de dominação em massa. A igreja diz q vc indo contra ela,vc esta indo contra DEUS !!
    As pessoas ñ pensão por si proprias, estam todos em um pensamento coletivo de obediencia e punição. Se vc seguir os dogmas da igreja, vc vai para o "céu" se ñ voce vai para o inferno e vai sofrer muito lá.
    Nós ja nascemos pecadores, então desde muito cedo já sentimos culpa,medo,obrigação de tentar nos redimir,por algo q ñ fizemos !!
    sSomos seres livre,inteligêntes e racionais. Não podemos acredita em um conto de fadas perverso e cruel,no qual nos prende e nos escravisão.
    Somos melhores q isso !!

    ResponderExcluir
  8. cara eu so vou dizer que este tal de Oberon não passa de um cego tentando esconder o sol com a peneira

    ResponderExcluir
  9. É sempre aquela mesma desculpa esfarrapada , você não ''estudou'' teologia , temos de entender o ''contexto'' da época . E toda aquela baboseira que justifica todo esse tipo de atrocidades nojentas ...

    ResponderExcluir
  10. Agradeço a todos q participaram do debate. FOI ÓTIMO!

    ResponderExcluir
  11. Voltem sempre e comentem outros artigos. Abrç!

    ResponderExcluir
  12. Nossa, o Oberon citou o Ocultismo, ele não sabe nada sobre ocultismo, se soubesse saberia que a versão Lúcifer do Ocultismo não é de um ser malévolo.
    E não, não existe um ser chamado Lúcifer em livros judaicos, Tanach (Antigo Testamento), existe o Satã, e Satã está a serviço do deus-judaico e não se opõe a ele. Pesquisem o que significa Satanás na religião judaica, em especial na Cabala Judaica.

    ResponderExcluir